ZONDER MEER (2020)

  • Fiction
  • 12min

Banhos de sol, mergulhos no lago e brincadeiras com os irmãos: são assim os dias que se estendem e repetem de forma alegre, são as férias de verão para Lucie, a criança que está no centro de “Zonder Meer”, cujo ponto de vista o filme vai adotar para contar a sua história. Desta forma inteligente cria-se uma dualidade entre o mundo dos adultos e o das crianças, que o filme segue de forma fiel, optando por não mostrar muito além do mundo de Lucie, e por deixar às vezes o mais importante nas margens da imagem, na imaginação do espectador. É assim que nos apercebemos – mesmo que Lucie não – do alvoroço à sua volta perante o desaparecimento de um menino, e mais tarde, quando os banhos no lago são interditos para permitir as buscas, da gravidade da situação. Para Lucie e os seus irmãos é apenas tudo um aborrecimento que interrompe as férias. Porém, Lucie reconhece na alteração do comportamento à sua volta alguma estranheza, e este primeiro encontro com a presença próxima da morte vai deixá-la curiosa, num belíssimo retrato sobre a perda da inocência. Este é o segundo filme da realizadora belga Meltse Van Coillie e a sua estreia no Curtas. (JA)

Sunbathing, swimming in the lake and playing with the siblings: this is how the days go by, in happy repetition. It’s the summer holidays for Lucie, the kid at the center of “Zonder Meer”, and whose point of view the film will adopt to tell the story. In this clever way, a duality is created between the world of adults and that of children. The film faithfully follows Lucie’s perspective choosing not to show much beyond that, and sometimes leaving what is most important in the margins of the image, in the viewer’s imagination. That’s how we realize – even if Lucie doesn’t – the uproar around her caused by the disappearance of a boy, and later, when swimming in the lake is banned to allow searches, the gravity of the situation arises to the surface. For Lucie and her siblings this is just an annoyance that spoils their holidays. However, Lucie senses some odd changes in the behavior of those around her, and this first encounter or close proximity with death will leave her curious. The film paints a beautiful and moving portrait of the loss of innocence. This is the second film by the Belgian director Meltse Van Coillie and her debut in Curtas. (JA)

Language

Dutch

Subtitles

English, Portuguese

Country

Belgium

Bonus Content

Entrevista - Meltse Van Coillie (João Araújo)