NOITE SEM DISTÂNCIA (NIGHT WITHOUT DISTANCE) (2015)

  • Fiction, Documentary
  • 23min

Filmado nas montanhas do Gerês, na fronteira entre Portugal e a Galiza, “Noite Sem Distância” parece situado ele próprio entre dois mundos, na fronteira entre a descrição vagarosa de uma prática que se repete desde sempre e um estranho sonho sensorial e hipnótico. A representação da passagem do tempo é precisamente um dos temas centrais da filmografia de Patiño, que aqui retrata uma noite igual a tantas outras, na qual o contrabando percorria aquela região, como uma sucessão de vários instantes que se alongam, retirando-lhe a especificidade do tempo e assim criando um carácter intemporal, quase sagrado, de uma beleza serena. O uso de um filtro de imagem negativa confere ao filme um aspecto transcendental e ilusório, porém serve também para transformar as personagens em vultos indistintos, como fantasmas-testemunhas da natureza, figuras que se confundem e entrelaçam com os elementos à sua volta ou “rastos de almas na paisagem”, como escreveu Teixeira de Pascoaes no poema citado no início do filme. Um percurso do real ao poético, esta é também uma pequena fábula sobre a resistência da memória.

Filmed in the hills of Gerês, on the border between Portugal and Galicia, “Noite Sem Distância” seems to be situated between two worlds, on the border between the lingering description of a practice that has been repeated since forever and a strange sensory and hypnotic dream. The representation of the passage of time is precisely one of the central themes of Patiño’s filmography, which here portrays a night just like so many others, in which contraband traveled through that region, as a succession of several moments that are expanded, removing its specificity of time and thus creating a timeless, almost sacred, serene beauty. The use of a negative image filter gives the film a transcendental and illusory aspect, but it also serves to transform the characters into indistinct figures, as if ghosts-witnesses of nature, figures that blend and intertwine with the elements around them or “traces of souls in the landscape”, as Teixeira de Pascoaes wrote in the poem quoted at the beginning of the film. A journey from the real to the poetic, this is also a small fable about the resistance of memory.

Languages

Portuguese, Spanish

Subtitles

English, Portuguese, Spanish; Castilian