NOIR-SOLEIL (2021)

  • Animation
  • 20min

Esta animação começa com uma erupção de um vulcão no Monte Vesúvio, movimento natural que origina um terremoto na baía de Nápoles e, em consequência, leva ao ressurgimento de um cadáver que se pensava, entretanto, desaparecido. Por sua vez, esse cadáver vai ensombrar o presente de Dino e da sua filha Victoria, pois vai desenterrar um passado entretanto esquecido - do desaparecimento súbito do pai de Dino e avô de Victoria - numa viagem a Itália, quando os dois são chamados a ajudar na identificação do corpo encontrado. Este mistério, e a relação distante entre pai e filha, é ilustrado com uma série de belíssimos quadros, carregados de tons soturnos, que ajudam a criar um ambiente melancólico e uma tristeza silenciosa, sanada por uma reaproximação entre os dois à medida que Dino recorda a sua relação com o seu pai. Esta é assim uma admirável e contagiosa meditação sobre o passado e como, por muito que se tente escapar dele, este acaba sempre por encontrar os seus caminhos. O filme marca a estreia de Marie Larrivé no Curtas. (JA)

This animation begins with a volcanic eruption on Mount Vesuvius, a natural movement that causes an earthquake in the Bay of Naples and, as a result, leads to the resurgence of a corpse thought to have since disappeared. In turn, this corpse will haunt the present of Dino and his daughter Victoria, as it will unearth a long-forgotten past – involving the sudden disappearance of Dino’s father and Victoria’s grandfather – when the two are called upon, during a trip to Italy, to help identify the body. This mystery, and the distant relationship between father and daughter, is illustrated with a series of stunning frames, laden with dark tones, which help create a melancholic mood and a silent sadness, healed by a rapprochement between the two as Dino recalls his relationship with his father. “Noir-soleil” is, thus, an admirable and contagious meditation on the past and how, no matter how much one tries to escape from it, it always ends up finding its way. The short film is Marie Larrivé’s debut at Curtas. (JA)

Languages

French, English, Italian

Subtitles

English, Portuguese

Country

France

Studio

Eddy Production