GAZE (OLHAR) (2017)

  • Fiction
  • 14min

O que começa por ser uma trivial ação na maior parte das situações, um olhar desviado na altura errada, pode aqui conter diferentes significados e consequências por causa do contexto em que ocorre. Da mesma forma, o filme, que começa com um pequeno dilema moral, transforma-se numa examinação do desequilíbrio entre géneros numa sociedade conservadora. Uma mulher regressa a casa de autocarro, depois de um longo dia de trabalho, quando repara num rapaz a roubar a carteira a uma vítima incauta. Quando denuncia o rapaz, uma justiça popular improvisada expulsa o ladrão do autocarro. Mais tarde, quando esta mulher sai do autocarro, acaba por ser alvo de uma perseguição pelo tal rapaz, que procura retaliar. É uma sequência palpitante, em que o minimalismo e um formalismo evocativo de Hitchcock acentuam a tensão e a incerteza ao virar de cada esquina, e cada gesto ganha assim maior importância, ampliando os receios interiores para o exterior. É também um retrato de um medo e desamparo silencioso sentido todos os dias, que é apenas resolvido, ou prolongado, na última imagem do filme, um último olhar, algures entre a esperança e o desalento. (JA)

What may start off as a trivial act in most circumstances – turning one’s gaze to something at the wrong moment – can have different meanings and consequences depending on the context. In this case, a film that begins with a small moral dilemma is transformed into an examination of gender imbalance in a conservative society. A woman going home on the bus after a long day’s work spots a boy stealing the wallet of an unsuspecting victim. When she accuses the boy, impromptu popular justice ensures that he is thrown off the bus. Later, when the woman gets off, she is stalked by the boy, who is looking for revenge. A gripping sequence follows, deploying a minimalism and a formalism reminiscent of Hitchcock to heighten the tensions and uncertainty that lie around every corner and make every gesture seem significant, bringing inner fears to the surface. It is also a portrait of the silent fear and helplessness experienced every day, which is only resolved – or prolonged – in the final image of the film, a last gaze somewhere between hope and discouragement. (JA)

Language

Persian

Subtitles

English, Portuguese

Countries

Iran, Italy

Studio

Three Gardens Film