DUSTIN (2020)

  • International Competition, Fiction, LGBTQ+, Drugs
  • 20min

PRÉMIO DE MELHOR FICÇÃO · BEST FICTION PRIZE

Esta é a estreia no Curtas de Naila Guiguet, recém-formada realizadora francesa que apresenta no festival a sua primeira curta-metragem, “Dustin”. Guiguet partiu para a rodagem do seu primeiro filme profissional utilizando como principal cenário eventos que organiza para a comunidade LGBTQIA+ enquanto DJ e membro fundador do grupo Collective Possession. Com a introdução singular no argumento do ambiente sonoro alucinante da música techno, a realizadora convida o espectador a partilhar o clima de alheamento e introspeção das personagens que constroem esta narrativa, e o seu relacionamento. Sublinha-se a sensibilidade discursiva com que Guiguet nos torna conscientes da presença e estética do corpo da personagem principal em contraste com o seu grupo, e com uma multidão de gente subtilmente iluminada nos enquadramentos iniciais. Através de Dustin, na representação da personagem transgénera e homossexual que dá o título ao filme, e do seu grupo de amigos, presenciamos o estado de deriva emocional e melancolia consequentes de uma rave. Esta curta-metragem destaca-se pela forma atual e poética com que faz o retrato da realidade noturna alternativa, bem como pela naturalidade com que representa o processo de aculturação e socialização da comunidade retratada. (BC)

“Dustin” is the debut at Curtas of recently graduated French filmmaker Naila Guiguet – and also her first short film. Guiguet set out to shoot her first professional movie using as central location the events she promotes, as a DJ and founding member of the group Collective Possession, for the LGBTQIA+ community. With the singular introduction of the mind-blowing techno music soundscape into the story, the filmmaker invites the viewer to share the sense of alienation and introspection of the characters that make up the narrative, as well as their relationship. It must be emphasized the discursive sensibility with which Guiguet makes us aware of the protagonist’s body presence and aesthetic, in contrast to her group, and to a subtly lit crowd of people, in the initial frames. Through Dustin, in the representation of the homosexual trans character that titles the film, and her group of friends, we witness the state of emotional drift and melancholy resulting from a rave. The short stands out for the current and poetic way it portrays the alternative nightlife scene, as well as for the organic representation of the process of acculturation and socialization of the depicted community. (BC)

Language

French

Subtitles

English, Portuguese

Bonus Content

26m
Q&A's · Naïla Guiguet

Uma conversa sobre o filme “Dustin” | Idioma: Francês

A brief talk about the film “Dustin” | Language: French