CRIOULO QUÂNTICO: O ALGORITMO DO ALGODÃO (QUANTUM CREOLE) (2019)

  • Portuguese Competition, Documentary, Avant-Garde, History, Racism
  • 40min

Prosseguindo o seu caminho na tradição ensaística de Chris Marker, Filipa César apresenta “Crioulo Quântico: O Algoritmo do Algodão” como parte de um projeto mais amplo que propõe um cruzamento triangular entre os conceitos de trama têxtil (o algodão), trama linguística (o crioulo) e trama computacional, explorando excertos de obras e leituras performativas de autores tão diversos como Diana McCarty, Muhammed Lamin Jadama, Olivier Marboeuf ou Wendy Hui Kyong Chun, entre muitos outros. Através dos teares e dos “gestos fetichistas” de tecelãs e tecelões órfãos de Amílcar Cabral e de Titina Silá, heróis nacionais mortos durante a luta pela independência guineense, esta obra propõe uma reflexão sobre formas de exploração, da colonização portuguesa dos últimos séculos até ao novo paradigma do capitalismo global. Filipa César é uma presença regular em Vila do Conde, tendo sido premiada no Curtas (Grande Prémio em 2015, com “Mined Soil”) e também tendo já exposto vídeos e instalações na Solar – Galeria de Arte Cinemática (“Montage”, em 2010). (PC)

Following her path on the essayistic tradition of Chris Marker, Filipa César presents “Crioulo Quântico: O Algoritmo do Algodão” as part of a larger project that proposes a triangular criss-cross within the concepts of textile fabric (cotton), linguistic fabric (the creole), and computational fabric, exploring excerpts of works and performative readings by authors as diverse as Diane McCarty, Muhammed Lamin Jadama, Olivier Marboeuf, and Wendy Hui Kyong Chung, among many others. Through the looms and the “fetishistic gestures” of weavers, orphans of Amílcar Cabral and Titina Silá, national heroes who were killed during the fight for Guinean independence, this work proposes a reflection on the many forms of exploitation, from Portuguese colonization over the last centuries to the current paradigm of global capitalism. Filipa César is a regular at Vila do Conde, having already won the Grand Prix in 2015 with “Mined Soil”, and presented videos and installations at the Solar – Cinematic Art Gallery (“Montage”, in 2010). (PC)

Director

Filipa César

Producer

Michel Balagué

Producer

Filipa César

Producer

Olivier Marboeuf

Languages

English, Creole