CASA DE ANTIGUIDADES (MEMORY HOUSE) (2020)

  • Fiction
  • 1h 33m

Cristovam é um idoso negro que emigrou do interior de Goiás para uma comunidade fictícia de austríacos no sul do Brasil em busca de melhores condições de vida. Um dia encontra, numa casa abandonada, uma série de objetos da sua região natal. As memórias do passado assaltam-no, deixando-o louco a ponto de ele se transformar num animal. Acossado, terá de usar de extrema violência para enfrentar um grupo ultraconservador. “Casa de Antiguidades”, primeira longa-metragem de João Paulo Miranda Maria, também se poderia intitular Uma Casa chamada Brasil, uma vez que, à semelhança das suas curtas anteriores, todas exibidas no Curtas, prossegue um trabalho de reflexão sobre a sociedade, a história e a cultura do país natal do cineasta. Em tempos de ditadura, Glauber Rocha usou a alegoria para falar sobre os problemas do Brasil de então, nomeadamente a corrupção e o conservadorismo estrutural de um país colonizado e subdesenvolvido. João Paulo Miranda Maria também recorre à alegoria para trabalhar temas como o preconceito e a intolerância, dois temas centrais e recorrentes nas histórias filmadas pelo realizador paulistano, aliando um registo realista, uma certa sensibilidade mística e um enorme desejo de ficção. (PC)

Cristovam is a black elderly man who emigrated from Goiás countryside to a fictional Austrian community in southern Brazil in search of a better life. One day, he finds, in an abandoned house, a series of objects from his native region. Stricken by memories of the past, he is driven crazy to the point of becoming an animal. Cornered, he will have to make use of extreme violence in order to stand up to an ultraconservative group. “Memory House”, João Paulo Miranda Maria’s first feature film, could also be titled A House Called Brazil, given that, similar to his previous short films, all shown at Curtas, the filmmaker proceeds with a reflection on his home country’s society, history and culture. During the dictatorship years, Glauber Rocha used allegory to talk about Brazil’s problems at the time, especially corruption and the structural conservatism of a colonized and developing country. João Paulo Miranda Maria also resorts to allegory in order to explore themes such as prejudice and intolerance, both central and recurrent in the stories filmed by the São Paulo director, combining a realist approach, a certain mystical sensibility and an overwhelming longing for fiction. (PC)

Languages

Portuguese, German

Subtitles

English, Portuguese

Bonus Content

21m
Q&A's · João Paulo Miranda Maria

Uma conversa sobre o filme “Casa de Antiguidades” | Idioma: Português

A brief talk about the film “Memory House” | Language: Portuguese

You may also like

A MOÇA QUE DANÇOU COM O DIABO (THE GIRL WHO DANCED WITH THE DEVIL) (2016)
  • Fiction
  • 15min
MENINAS FORMICIDA (ANT KILLERS) (2017)
  • Fiction
  • 12min
COMMAND ACTION (2015)
  • Fiction
  • 14min